imagem-para-blog-cancer-de-prostata

É o segundo tipo de câncer mais comum no homem, perdendo apenas para o câncer de pele não-melanoma, e por isso, independente do gênero, raça ou credo, todos os indivíduos do sexo masculino devem fazer os exames preventivos anualmente a partir dos 45 anos. Deve-se ter uma atenção maior naqueles pacientes que têm história familiar de câncer (pai, irmãos, tios ou primos), antecipando o início do screening para os 40 anos.

Os exames mínimos a serem feitos são:

  • PSA (antígeno específico da próstata): bioquímica do sangue a fim de avaliar metabolismo celular da próstata;
  • USG (ultrassonografia): exame de imagem para verificar tamanho da próstata, presença de cistos, nódulos, calcificações, além de sinais indiretos de obstrução urinária;
  • EDP (exame digital da próstata): toque da próstata através do reto a fim de sentir a consistência e a viabilidade cirúrgica.

Note que os exames têm finalidades diferentes e nenhum substitui o outro, mas se completam para, depois de juntar as “peças do quebra-cabeça”, o médico determinar a presença ou ausência de problemas.

O objetivo da prevenção é fazer a detecção precoce das doenças prostáticas, em especial o câncer, para possibilitar o tratamento com finalidade de cura! O método mais empregado para este objetivo é a cirurgia (prostatectomia radical), podendo-se utilizar também radioterapia. Quando o diagnóstico é feito no estágio inicial, além de atingir a cura em 85% dos casos, podemos diminuir a incidência das complicações: incontinência (perda involuntária da urina) e impotência (falta de ereção suficiente para coito).

O momento para se procurar o médico é justamente quando o paciente encontra-se assintomático, uma vez iniciado sintomas (obstrução urinária, sangramento na urina ou dor óssea) a doença já está avançada e o tratamento torna-se apenas paliativo (alívio dos sintomas). Como o câncer da próstata “alimenta-se” de hormônio, o controle é feito pelo bloqueio hormonal, castração química (medicamentos) ou cirúrgica (orquiectomia).

Apesar de não haver recomendação científica quanto à dieta, sabe-se que uma alimentação saudável e equilibrada ajuda na diminuição do stress oxidativo celular diminuindo quantidade de radicais livres e conferindo uma proteção ao surgimento do câncer.

O cuidado à saúde mais barato e eficiente é a prevenção: procure um urologista!

Dr. Lucas Meira
CRM 3213